O purgatório das verbas indenizatórias: melhor não usá-las, mas se não usá-las como gozá-las

O velho Vinícius de Moraes tinha uma frase bem mundana sobre a questão de ter filhos que resume bem o sentimento racional a respeito do tema da paternidade. Ele dizia “Filhos, melhor não tê-los. Mas, se não tê-los, como sabê-los?”. É sob esse impulso que deputados federais e senadores se jogam sobre as Verbas Indenizatórias garantidas por lei pelo Congresso […]

Continue lendo »