O saldo positivo dos Ribeiro

O resultado das eleições de 2022 na Paraíba trouxe um número determinado de vencedores e de perdedores. Alguns, mesmo vencendo, precisam se reafirmar, como é o caso do ex-prefeito Luciano Cartaxo, por exemplo, eleito deputado estadual na rabeta. Outros, mesmo perdendo, podem contabilizar alguns ganhos, a exemplo do Pastor Sérgio Queiroz e do próprio Pedro Cunha Lima. Mas, falando em grupo político, entre tantos, poucos contabilizaram saldo tão positivo ao final desta eleição quanto o conquistado pelos Ribeiro.

O grupo, que desde 2018 tem Daniella como senadora e, agora, presidente do PSD, mantém uma aliança política consolidada com prefeituras com o porte de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita e Cajazeiras, reelegeu Aguinaldo Ribeiro, presidente do Progressista, como segundo deputado federal mais votado, e emplacou Lucas Ribeiro com vice-governador da Paraíba, o mais jovem eleito no Brasil para o cargo, numa jogada que vai ficar considerada como uma das mais surpreendentes desta eleição.

Além de elevar a credencial do atual vice-prefeito de Campina Grande, alçando-o a um patamar de político de nível estadual aos 33 anos, a eleição de Lucas coloca os Ribeiro antecipadamente dentro da chapa majoritária de 2026. Caso João se desincompatibilize para disputar uma vaga no Senado, Lucas Ribeiro vira governador aos 37 anos com direito à reeleição. Caso João pretende concluir o segundo mandato inteiro, o grupo tem o nome da senadora Daniella Ribeiro no páreo para compor a chapa.

Um desenho com vários traços, mas que, no geral, já é previamente aceito pelos partidos que compõem a base do governador.

Em nível nacional, o cenário é tão promissor quanto.

No PSD por insistência de Gilberto Kassab e da bancada, a senadora Daniella Ribeiro amplia seu raio de trânsito no Senado, e tem para si o trunfo de retornar ao Progressista caso sua legenda atual em nível nacional não construa e assegure espaços de relevância, seja no Congresso Nacional ou em outra esfera.

Na Câmara Federal, Aguinaldo Ribeiro, considerado uma das figuras de proa do Centrão, é peça chave na eleição da nova mesa diretora. E já parece ajudar nas articulações da chegada do governo Lula ao poder.

Além disso, houve outro movimento registrado nas eleições de 2022 que acabou ampliando ainda mais as possibilidades de ação dos Ribeiro. A decisão do senador Veneziano Vital do Rego (MDB) em se jogar nos braços dos Cunha Lima ao decidir apoiar Pedro para governador, abrindo, com isso, um espaço abismal para a ascensão de uma nova liderança de oposição em Campina Grande.

Algo que deve se concretizar nas eleições municipais de 2024, para as quais o nome de Daniella á passou a ser pronunciado como candidata a prefeita, recebendo aprovações da classe política como a vice-governadora Lígia Feliciano e o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino.

O fato é que os Ribeiro saem de 2022 com um leque tão grande de opções que o maior desafio será fazer as escolhas certas. Algo que eles já tem conseguido há algumas eleições…

 

Leia Mais

João e a difícil tarefa de dizer não

Hugo Motta escolhe o pior dos temas para ser conhecido…

Pedro revela desejo de nova disputa ao governo e rejeita…

Decisão do PT Nacional em suspender prévias de JP tem…

Bolsonaro, Queiroga e Queiroz terão encontro para discutir chapa em…