O deserto do Padre Luiz Couto

A Quaresma é um tempo em que a Igreja contempla os quarenta dias de Jesus no deserto, livrando-se das diversas tentações do diabo. Neste tempo, considerado um período de conversão e penitência, Jesus vence o mal, dizendo a não a tudo aquilo que lhe foi atraentemente ofertado.

Talvez por isso o Padre Luiz Couto tenha usado a Quaresma para responder se aceita ou não ser candidato do PT a prefeito de João Pessoa nas eleições deste ano. “Estou na Quaresma”, disse o Padre, questionado sobre as especulações em torno de seu nome.

Somente apelando para respostas mais claras é que o Padre resolve fazer uma confissão mais detalhada, demonstrando muita cautela para tratar do assunto.

Em resumo, o ex-deputado federal pelo PT, que foi candidato ao Senado Federal no ano passado em 2018 e hoje é secretário de Agricultura do Governo João Azevedo, considera que o PT precisaria amadurecer mais esta tese. Segundo ele, o nome deveria ser escolhido de uma frente mais ampla de partidos alinhadas com base mais democrática.

E que, no caso do nome ser o dele, ouvir a população para saber se é isso que ela quer mesmo. “Não é porque uma pessoa ligou para rádio que o sentimento se reflete na sua maioria”, mencionou. Aos 75 anos de idade, disse que precisaria fazer exames médicos também.

Da sinais claros de que não gostaria de carregar esta cruz.

Mesmo assim, Couto admitiu que estará aprofundando o debate com lideranças nacionais do PT. Mas tudo depois da Quaresma. Por ora, jejum de palavras e decisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *