Do Largo à Lagoa, Cartaxo repete seu desenho eleitoral para 2020

A reforma da Lagoa foi um dos principais trunfos do prefeito Luciano Cartaxo para consolidar os índices positivos de aprovação da sua gestão e, por tabela, contribuir na reeleição de 2016.

A obra, que recebeu um tratamento propagandístico em quantidade e de qualidade, virou o grande cartão postal da gestão de Cartaxo, e venceu até denúncias de irregularidades.

De impacto urbano indiscutível, servindo como símbolo de cuidado e valorização pela cidade, a obra mexeu com a autoestima do pessoense. A Lagoa pegou. Gostem ou não os oposicionistas.

Eis que, três anos depois, Cartaxo lança o projeto do Largo de Tambaú. Que, teoricamente, se apresentando nos mesmos moldes de projetos urbanísticos bem sucedidos em capitais litorânea, aponta para ser outro sucesso de crítica e público.

Apesar de ser, assim como a Lagoa, projetos simples de engenharia, que passam longe de pontes, viadutos, túneis ou prédios de grande porte, o Largo de Tambaú mexe com paisagem da orla, embeleza e democratiza seu uso. Ou seja, cai facilmente no gosto popular.

Pelas imagens apresentadas, não tem como fugir da sentença: “Bonito!”. Igual a Lagoa. Ah, mas tem comerciante reclamando. Na Lagoa também tinha. E mesmo assim pegou. Porque sempre vence o gosto da maioria. E para cada um comerciante ou morador do local reclamando você vai encontrar dez usuários elogiando. Igual a Lagoa.
Não pense que as semelhanças acabaram.

Pelo projeto de execução, se tudo correr bem, você sabe quando o Largo de Tambaú será entregue? Em junho de 2020, três meses antes das eleições. Igual a Lagoa. Que foi entregue em junho de 2016.

Não é difícil imaginar, portanto, que Cartaxo repete uma fórmula que deu certo para sua reeleição. Passará os próximos nove meses “trabalhando” a as virtudes do Largo de Tambaú, potencializando sua imagem, ao aprimorar um espaço que é usado – ou pelo menos visto – por toda a população.

Um presentaço para a cidade. E para o seu candidato escolhido.

Assim como aconteceu com a Lagoa, inteligentemente, o prefeito quer transformar o estreito caminho para a vitória em um largo.

Um comentário

  • Paulo Roberto

    Enquanto trabalha essa “perfumaria”, esquece, não se preocupa com questões extremamente mais sérias e necessárias: a saúde pública, com pacientes(denominação mais que apropriada) chegam a esperar por meses por um simples exame ou por uma medicação das mais simples. A mobilidade urbana, cuja a “grande obra” foi a pinguela da Ministro José Américo de Almeida, quando seria necessário um viaduto dos mais simples, obra que qualquer aluno do antigo curso de Estradas da Escola Técnica projetaria; a construção de uma ciclovia sobre a calçada da Avenida Dom Pedro II. O transporte público, esse o grande caos, porém o prefeito deve ter “milhõe$” de motivo$” para não buscar solução.

Deixe uma resposta para Paulo Roberto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *