A solidariedade do PT subirá ao palanque?

Comoventes e até heróicas as palavras do presidente do PT paraibano, Jackson Macedo, em favor do ex-governador Ricardo Coutinho. Nem o PSB (nacional) se posicionou tão altivamente em solidariedade a Ricardo como fez o PT local, a partir de seu presidente estadual. E como fez o próprio Lula, em declarações recentes.

Para além do mérito do apoio, nota-se claramente que a postura é uma retribuição ao que o ex-governador socialista fez, nacional e regionalmente, em favor do PT, de Dilma e, especialmente de Lula, durante todo o processo de impeachment da presidente e da Operação Lava Jato contra o ex-presidente.

Essa postura do ex-governador foi além de declarações na imprensa e na mídia. Subiu aos palanques, foi às ruas. Além da “inauguração” da Transposição das águas do São Francisco, em Monteiro, com Lula presente, Ricardo fez campanha declarada para Fernando Hadadd nas eleições presidenciais de 2018. Ou seja, foi do discurso à prática.
A retribuição do PT, por ora, é parcial. Inicia-se e encerra-se no discurso. A oportunidade de tornar-se integral lhe será apresentada agora na eleição de 2020, especialmente em João Pessoa. O PT ficará com Ricardo Coutinho ou com o candidato lançado pelo PSB para prefeito da Capital?

Na prática, o partido está na base do governo João Azevedo. Tem cargos no governo. E ainda uma eterna vontade de lançar candidato próprio.

A solidariedade será, portanto, posta à prova muito brevemente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *